logotipo operacional.pt

Arquivo do autor

OS PÁRAS EM COMBATE NA RCA, A OPERAÇÃO “SUKULA”

Por • 6 Set, 2018 • Categoria: 03. REPORTAGEM, 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, PRIMEIRA PÁGINA

«…Os elementos dos grupos armados tinham posições de tiro ao longo do enfiamento da rua e lateralmente. Disparavam e deslocavam-se para outras posições utilizado os labirintos existentes entre as habitações…lançavam granadas dos telhados… …mal a nossa primeira viatura entrou na rua foi alvejada, respondemos de imediato…». Neste artigo vamos tentar dar uma ideia aos nossos leitores do que foi uma das acções de combate dos paraquedistas da 3.ª Força Nacional Destacada (Conjunta) na MINUSCA em Bangui, a Operação “Sukula”. 



NOVOS LANÇA GRANADAS AUTOMÁTICOS CHEGAM AO EXÉRCITO

Por • 3 Ago, 2018 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, 07. TECNOLOGIA, EM DESTAQUE

O Exército Português acaba de receber novos Lança Granadas Automáticos e o Operacional acompanhou a formação inicial que o fabricante ministrou a oficiais e sargentos, futuros instrutores. O Grenade Machine Gun 40mm x 53 da Heckler & Koch é uma arma testada em combate, acrescenta poder de fogo significativo às unidades que o vão receber e é bem possível que em breve já estejam ao serviço na 4.ª Força Nacional Destacada na República Centro Africana. Fazemos ainda uma síntese da história deste tipo de arma em Portugal e a sua utilização em combate pela GNR no Iraque.



EXÉRCITO ENVIA BLINDADOS PANDUR PARA A RCA

Por • 19 Jul, 2018 • Categoria: 01. NOTÍCIAS, 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI

Em breve serão enviadas como reforço das forças portuguesas na República Centro Africana, seis viaturas blindadas de rodas Pandur II 8×8 em diferentes versões. Depois do Kosovo e Lituânia estes blindados que vieram substituir as velhinhas Chaimite, rumam agora pela primeira vez a África. 



FORÇAS ARMADAS PROFISSIONAIS, SOLUÇÃO PARA PORTUGAL

Por • 19 Jul, 2018 • Categoria: EM DESTAQUE

Perante a falta de voluntários que afecta a capacidade operacional das Forças Armadas, em especial o Exército, muitos defendem hoje o retorno ao Serviço Militar Obrigatório (SMO) o qual teria também outras vantagens para a sociedade em geral. Se o actual sistema de serviço militar está claramente a falhar, parece-nos que o caminho não será o retorno ao SMO – que também se esgotou – mas ao contrário, umas Forças Armadas só com pessoal do Quadro Permanente (QP). Dizemos aqui porque nos parece valer a pena estudar seriamente este assunto, sem preconceitos nem agarrados a dogmas.



REPÚBLICA CENTRO AFRICANA: APOIO “DE RETAGUARDA” AOS PÁRAS

Por • 9 Jul, 2018 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, EM DESTAQUE

Os paraquedistas portugueses na República Centro Africana têm sido repetidamente notícia e por boas razões! As operações de combate contra grupos armados, a protecção de comunidades atacadas, os elogios recebidos quer na RCA pela hierarquia das Força das Nações Unidas – a MINUSCA – quer em Portugal pelo poder político e chefias militares, aparecem na imprensa nacional e mesmo internacional.



NOTAS SOBRE A TRANSFERÊNCIA DOS PARAQUEDISTAS DA FORÇA AÉREA PARA O EXÉRCITO EM 1993

Por • 4 Jul, 2018 • Categoria: EM DESTAQUE

Este assunto agitou o meio político-militar e mediático nacional nos anos 90 do século XX e continua em grande medida mal explicado. Recentemente um dos protagonistas da altura veio a público falar sobre o tema, com um detalhe que induz em erro quem o tenha lido, e pareceu-nos boa oportunidade deixar escrito alguns aspectos sobre este processo e rebater a dita afirmação, sem naturalmente pretender esgotar o tema.



CINQUENTENÁRIO DO MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE: 03JUL1968 – 03JUL2018

Por • 1 Jul, 2018 • Categoria: EM DESTAQUE

No dia 3 de julho de 2018 comemora-se o cinquentenário da inauguração do MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE, situado no REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS, erigido em memória dos paraquedistas mortos em combate e, também, porque não dizê-lo, à glorificação dos combatentes ainda vivos.
Foi, provavelmente, um dos momentos mais significativos e emotivos da história das TROPAS PARAQUEDISTAS PORTUGUESAS, conforme relatam testemunhos escritos, em artigos publicados(1), logo após a cerimónia oficial.
Imponente pela sua beleza e significado, o “MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE” tornou-se num símbolo respeitado por todas as gerações de paraquedistas militares portugueses formados ao longo de mais de seis décadas.
Impunha-se, por isso, este modesto registo.



MEDALHA COMEMORATIVA DO CINQUENTENÁRIO DO “MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE” – 1968 – 2018

Por • 24 Jun, 2018 • Categoria: 10. DISTINTIVOS, INSÍGNIAS E CONDECORAÇÕES

O REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS comemora em 3 de julho próximo, o cinquentenário da inauguração do MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE, marco incontornável do seu património histórico. A Guerra do Ultramar tinha começado em 1961, ano em que as tropas paraquedistas sofreram os seus primeiros mortos em combate, e desde logo o sangue vertido pelos “boinas verdes” começou a ser honrado e lembrado. Em 1968 o monumento de Tancos foi a primeira grande expressão pública desta cultura que se mantém. 



PORTUGAL NA RCA, DE VITÓRIA EM VITÓRIA ATÉ…

Por • 24 Jun, 2018 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, EM DESTAQUE

Foi público o motivo pelo qual o governo, com o apoio do Presidente da República e o parecer favorável do Conselho Superior de Defesa Nacional, decidiu empenhar uma força de combate portuguesa – 160 militares, uma companhia reforçada – na missão da ONU na RCA: «…Conseguimos realizar três objetivos: acolher plenamente o pedido francês; dar credibilidade ao Estado português na luta contra o terrorismo e na relação com a UE e ainda dar uma representação mais consistente ao Estado português na ONU. E ainda se pode invocar outra vantagem que não era antecipável, que é a candidatura de António Guterres a secretário-geral da ONU, que é valorizada com uma decisão desta natureza…» (Azeredo Lopes, Expresso, 06.04.2016).



UM PÁRA-QUEDISTA OBSERVADOR MILITAR

Por • 14 Jun, 2018 • Categoria: 13. MEMÓRIA DAS MISSÕES DE PAZ

A partir de 1992 o Corpo de Tropas Pára-quedistas da Força Aérea Portuguesa enviou para a ex-Jugoslávia vários oficiais e um sargento como Observadores para integrar duas missões de organizações internacionais: a European Community Monitoring Mission (ECMM) e a United Nations Protection Force (UNPROFOR). Foram os primeiros pára-quedistas portugueses a participar em missões de paz integrados em organizações internacionais, e este relato sobre a guerra é de um desses pioneiros, o Tenente-coronel na situação de reforma, António Malva Antunes que foi United Nations Military Observer .