logotipo operacional.pt

PRIMEIRA PÁGINA

NA BÓSNIA E HERZEGOVINA 22 ANOS DEPOIS

Os anos passam rápido, as memórias marcantes permanecem. O regresso àquilo que foi o Teatro de Operações da Bósnia esteve e está na mente de muitos. Passados 22 anos da primeira missão expedicionária na Europa para as Forças Armadas Portuguesas desde 1917, um pequeno grupo de veteranos dessa força na IFOR/NATO em 1996 regressou à Bósnia e Herzegovina. Aqui ficam o relato e as imagens desta experiência que teve o seu ponto alto na homenagem aos 5 pára-quedistas que ali morreram ao serviço de Portugal.

UM PÁRA-QUEDISTA OBSERVADOR MILITAR

A partir de 1992 o Corpo de Tropas Pára-quedistas da Força Aérea Portuguesa enviou para a ex-Jugoslávia vários oficiais e um sargento como Observadores para integrar duas missões de organizações internacionais: a European Community Monitoring Mission (ECMM) e a United Nations Protection Force (UNPROFOR). Foram os primeiros pára-quedistas portugueses a participar em missões de paz integrados em organizações internacionais, e este relato sobre a guerra é de um desses pioneiros, o Tenente-coronel na situação de reforma, António Malva Antunes que foi United Nations Military Observer .

A GUERRA NA ANTIGA JUGOSLÁVIA VIVIDA NA PRIMEIRA PESSOA

“A GUERRA NA ANTIGA JUGOSLÁVIA VIVIDA NA PRIMEIRA PESSOA, Testemunhos de Militares Portugueses ao Serviço das Nações Unidas” é um trabalho muito interessante e de leitura fácil sobre a participação de Portugal nos conflitos que acompanharam a desintegração da Jugoslávia nos anos 90 do século XX.

OFICIAIS MILICIANOS PÁRA-QUEDISTAS DA FORÇA AÉREA PORTUGUESA (Volume I)

Este livro é um contributo muitíssimo bem documentado sobre aquilo que o título indica, mas muito mais. José da Fonseca Barbosa, depois de uma investigação documental de anos e de inúmeros contactos pessoais, escreveu uma obra que responde a muitas perguntas comuns, até agora sem respostas fáceis. Com o foco nos oficiais milicianos pára-quedistas, em todos mas também em cada um deles, vai muito além disso para esclarecer o leitor, mostra-nos detalhes de um tempo e de portugueses dos quais nos devemos honrar!

DIRETIVA ESTRATÉGICA DO EMGFA – 2018/2021

O Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Almirante António Silva Ribeiro, acaba de divulgar publicamente uma Directiva Estratégica para os anos de 2018 a 20121. Segundo o CEMGFA «…O Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA) necessita de uma estratégia que oriente a sua transformação, promovendo uma permanente adaptação aos desafios decorrentes de fatores externos e uma melhoria contínua do desempenho interno, à luz das circunstâncias da organização, tendo em vista garantir a relevância e a utilidade da Instituição Militar para Portugal e os Portugueses…»

VAMOS VOLTAR A OUVIR FALAR DA UCRÂNIA?

Talvez por causa do que se está a passar noutros pontos do globo com maior visibilidade mediática passou relativamente despercebida por cá uma nova lei aprovada pela Ucrânia no passado dia 20FEV2018. Estamos perante um movimento rápido, político e militar, que poderá ter como consequência um aumento da violência. Todos os actores internacionais no terreno estão em alerta para fazer face a novos desafios, uma actuação mais musculada do Exército Ucraniano parece agora possível.

HOLANDA EQUIPA FORÇAS ESPECIAIS COM A HK-416 A5 5,56mm

O ministério da Defesa da Holanda anunciou recentemente que assinou um contrato no valor de 17 milhões de US dólares com a Heckler & Koch no sentido de equipar as suas forças especiais com espingardas HK 416 A5, calibre 5,56mm e algumas HK 417 calibre 7,62mm