logotipo operacional.pt

PRIMEIRA PÁGINA

PÁRAS PRONTOS PARA A REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

«Não há duas missões iguais», frase tantas vezes ouvida a militares que em várias missões expedicionárias têm participado, é uma verdade comprovada agora na República Centro Africana. “As experiências quer da primeira quer da segunda força estão traduzidas nesta instrução que estamos aqui a desenvolver e se há coisas em comum nos dois contingentes que nos antecederam, há outras bem diferentes que nos foram relatadas. A situação está em permanente evolução e é preciso profissionalismo, motivação, grande capacidade de adaptação e…bom senso para enfrentar o imprevisto”.

BALANÇO DO OPERACIONAL.PT EM 2017

Ao entrar no 10.º ano on-line o Operacional despede-se de 2017 como um ano difícil. Por motivos de ordem particular não foi nada fácil manter o site, o qual recordamos é 100% privado, não tem qualquer apoio institucional nem está ligado a qualquer associação ou empresa. Curiosamente mesmo tendo publicado menos de metade dos artigos de 2016 – logo baixamos as audiências – na realidade nunca fomos tão referidos na imprensa generalista nem tão solicitados para dar a nossa colaboração a diversos órgãos de informação, militares e civis.

BRIGADEIRO-GENERAL PORTUGUÊS COMANDA EUTM-REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

Sob o comando do Brigadeiro-General Hermínio Maio do Exército Português, partem na primeira semana de Janeiro de 2018 para a República Centro Africana os militares portugueses que vão integrar o novo e reforçado contingente nacional na Missão de Treino da União Europeia neste país africano.

12.º ANIVERSÁRIO DA BRIGADA DE REAÇÃO RÁPIDA

A Brigada de Reacção Rápida do Exército Português assinalou o seu 12.º aniversário no passado dia 30 de Setembro, na cidade de Portalegre. O ponto alto foi a tradicional cerimónia militar com empenhamento de parte significativa das suas forças em parada e a realização de demonstrações tácticas e saltos em pára-quedas.

INSTRUÇÃO DURA…

Esta obra que acaba de ser publicada em edição do autor, Diogo de Góis Figueira, é um documento muito interessante e, tanto quanto julgamos saber, o primeiro livro que aborda a instrução num Curso Geral de Milicianos. Estes cursos que hoje já não se realizam marcaram uma época nas Forças Armadas em geral e também nas Tropas Pára-quedistas ao qual se refere em particular. Em concreto o CGM 1/86.

DISTINTIVO DE BRAÇO DO CURSO DE QUALIFICAÇÃO DE “PARAQUEDISTA MILITAR”

Neste artigo o autor, António Sucena do Carmo, apresenta não só o distintivo que lhe dá título como transcreve importantes passagens da legislação em vigor, no respeitante a uniformes, artigos complementares, distintivos e condecorações, a qual nem sempre é correctamente seguida, com inevitáveis prejuízos no atavio e imagem dos militares.