logotipo operacional.pt

PRIMEIRA PÁGINA

FORÇA AÉREA PORTUGUESA DE NOVO NO MALI

Um Destacamento Aéreo está actualmente integrado na United Nations Multidimensional Integrated Stabilization Mission in Mali (MINUSMA), a força das Nações Unidas que actua no Mali desde 2013, com mandato renovado em 2016. Portugal regressou a este teatro de operações para uma missão de 6 meses, depois de ali ter estado em 2014 e 2015 – com aeronaves C-130 e C295M – contribuindo mais uma vez para os esforços da comunidade internacional na normalização política e militar neste país martirizado pela acção de grupos terroristas.

EU ESTIVE LÁ! MEDALHA CELEBRATIVA DAS MISSÕES NA BÓSNIA

Já está disponível ao público em geral a medalha que celebra a participação de Portugal nas diferentes missões que tiveram lugar na Bósnia e Herzegovina. O escultor José Macedo concebeu e fundiu esta peça que agora apresentamos, a qual, em contacto como o autor, pode ser obtida. Veja ainda como se fez esta medalha.

DISTINTIVO DE BRAÇO DO CURSO DE QUALIFICAÇÃO DE “PARAQUEDISTA MILITAR”

Neste artigo o autor, António Sucena do Carmo, apresenta não só o distintivo que lhe dá título como transcreve importantes passagens da legislação em vigor, no respeitante a uniformes, artigos complementares, distintivos e condecorações, a qual nem sempre é correctamente seguida, com inevitáveis prejuízos no atavio e imagem dos militares.

ESTAGNAÇÃO NOS EFECTIVOS MILITARES PARA 2017

Foi hoje, 21 de Dezembro de 2016, publicado em Diário da República o Decreto-Lei n.º 84/2016, que fixa os efectivos militares para 2017, baseando os números agora aprovados, numa resolução do Conselho de Ministros do governo anterior. Pelo quarto ano consecutivo, Portugal fica, neste aspecto, indiferente às alterações de segurança internacionais e às ameaças que se aproximam da Europa.

O CEP, OS MILITARES SACRIFICADOS PELA MÁ POLÍTICA

A participação portuguesa na 1.ª Guerra Mundial continua a ser objecto de investigação, estudo e divulgação. Como não raras vezes acontece, quando de procuram novas fontes, novas realidades são dadas a conhecer. Foi este o caminho que os autores – António José Telo e Pedro Marquês de Sousa – procuraram fazer, e o trabalho que desenvolveram na Academia Militar onde são professores, está publicado e…sujeito a polémica! São os próprios que o justificam: “…como é fatal quando se pretende dar uma explicação sobre um assunto tão importante e tão deturpado como o CEP”.

RETRATOS DE UMA MISSÃO NA BÓSNIA (VIII)

RETRATOS DE UMA MISSÃO NA BÓSNIA, continua com mais dois episódios. José Manuel Araújo, que serviu 25 anos nas tropas pára-quedistas portuguesas, Sargento Pára-quedista desde 1984, integrou a primeira missão portuguesa na Bósnia e Herzegovina em 1996. Aqui fica a sua visão, a dois tempos descritiva mas também cómica de muito do que por lá viu e passou. Mais uma vez as relações com o Comandante de Batalhão e com o Capelão, preenchem as recordações de José Araújo.