logotipo operacional.pt

Posts com Tag ‘Tancos’

CINQUENTENÁRIO DO MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE: 03JUL1968 – 03JUL2018

Por • 1 Jul, 2018 • Categoria: EM DESTAQUE

No dia 3 de julho de 2018 comemora-se o cinquentenário da inauguração do MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE, situado no REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS, erigido em memória dos paraquedistas mortos em combate e, também, porque não dizê-lo, à glorificação dos combatentes ainda vivos.
Foi, provavelmente, um dos momentos mais significativos e emotivos da história das TROPAS PARAQUEDISTAS PORTUGUESAS, conforme relatam testemunhos escritos, em artigos publicados(1), logo após a cerimónia oficial.
Imponente pela sua beleza e significado, o “MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE” tornou-se num símbolo respeitado por todas as gerações de paraquedistas militares portugueses formados ao longo de mais de seis décadas.
Impunha-se, por isso, este modesto registo.



MEDALHA COMEMORATIVA DO CINQUENTENÁRIO DO “MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE” – 1968 – 2018

Por • 24 Jun, 2018 • Categoria: 10. DISTINTIVOS, INSÍGNIAS E CONDECORAÇÕES

O REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS comemora em 3 de julho próximo, o cinquentenário da inauguração do MONUMENTO AOS MORTOS EM COMBATE, marco incontornável do seu património histórico. A Guerra do Ultramar tinha começado em 1961, ano em que as tropas paraquedistas sofreram os seus primeiros mortos em combate, e desde logo o sangue vertido pelos “boinas verdes” começou a ser honrado e lembrado. Em 1968 o monumento de Tancos foi a primeira grande expressão pública desta cultura que se mantém. 



NA BÓSNIA E HERZEGOVINA 22 ANOS DEPOIS

Por • 10 Jun, 2018 • Categoria: 13. MEMÓRIA DAS MISSÕES DE PAZ, EM DESTAQUE

Os anos passam rápido, as memórias marcantes permanecem. O regresso àquilo que foi o Teatro de Operações da Bósnia esteve e está na mente de muitos. Passados 22 anos da primeira missão expedicionária na Europa para as Forças Armadas Portuguesas desde 1917, um pequeno grupo de veteranos dessa força na IFOR/NATO em 1996 regressou à Bósnia e Herzegovina. Aqui ficam o relato e as imagens desta experiência que teve o seu ponto alto na homenagem aos 5 pára-quedistas que ali morreram ao serviço de Portugal.



ARMAS DO REGIMENTO DE PARAQUEDISTAS

Por • 20 Mai, 2018 • Categoria: 10. DISTINTIVOS, INSÍGNIAS E CONDECORAÇÕES, EM DESTAQUE

Dias antes do aniversário da “Casa-Mãe” das Tropas Pára-quedistas Portuguesas – Regimento de Paraquedistas da Brigada de Reação Rápida do Exército – António Sucena do Carmo publica um rigoroso artigo sobre a última actualização à sua heráldica. Mais do que isso, recorda o que tem sido legislado sobre esta matéria para uma unidade em que as vicissitudes da história têm provocado sucessivas alterações na designação e tutela, mantendo-se o fundamental da mística e das capacidades operacionais do soldado pára-quedista, o qual como foi amplamente provado em Angola, Moçambique e Guiné, e nas novas missões expedicionárias, da Bósnia ao Afeganistão, passando pelo Kosovo, Timor, Iraque e Mali, culminando nos dias de hoje com a exemplar actuação dos “seus filhos” na República Centro Africana.



BRIGADEIRO-GENERAL COELHO REBELO COMANDA A BRIGADA DE REAÇÃO RÁPIDA

Por • 17 Jan, 2018 • Categoria: 02. OPINIÃO, EM DESTAQUE

A Brigada de Reação Rápida tem novo comandante desde o passado dia 9 de Janeiro: o Brigadeiro-General Coelho Rebelo, 55 anos de idade, 37 de serviço militar. Oriundo das Operações Especiais com longa carreira quer na área operacional, em Portugal e em missões expedicionárias, quer em funções de estado-maior, assume agora a liderança da grande unidade que integra as forças de primeiro emprego do Exército, aquela que deve estar pronta para avançar primeiro! «…Esta é a Brigada que é por todos reconhecida por integrar as designadas Tropas Especiais: Paraquedistas, Comandos e Operações Especiais; caracterizados por uma forte cultura própria de cada especialidade mas que não é, nem será garantidamente no meu Comando factor limitador de uma forte coesão da Brigada onde se inserem, antes lhe dando parte importante da coerência organizativa, a que se associam a artilharia de campanha e a antiaérea, a cavalaria, a engenharia, as transmissões e o apoio sanitário porque é na partilha de conhecimentos, na melhoria contínua e na complementaridade que reside a força deste todo maior que a soma das partes…»



TANCOS: NUNCA DEVERIA TER ACONTECIDO!

Por • 12 Nov, 2017 • Categoria: 02. OPINIÃO, EM DESTAQUE

“Tancos: o caso do furto que aconteceu e que nunca deveria ter acontecido” é uma reflexão do Coronel Vítor Gil Prata, colaborador habitual do Operacional, que aqui levanta questões pertinentes – e inquietantes – sobre a investigação criminal neste incrível caso e interroga-se se seria possível prevenir este furto, evitando que tivesse ocorrido e tenta também perceber o que não permitiu a sua prevenção.



INSTRUÇÃO DURA…

Por • 12 Nov, 2017 • Categoria: 08. JÁ LEMOS E...

Esta obra que acaba de ser publicada em edição do autor, Diogo de Góis Figueira, é um documento muito interessante e, tanto quanto julgamos saber, o primeiro livro que aborda a instrução num Curso Geral de Milicianos. Estes cursos que hoje já não se realizam marcaram uma época nas Forças Armadas em geral e também nas Tropas Pára-quedistas ao qual se refere em particular. Em concreto o CGM 1/86.



O QUE PARECE É?

Por • 11 Jul, 2017 • Categoria: 02. OPINIÃO, EM DESTAQUE

Azeredo Lopes, um general da comunicação, está a ganhar a guerra da informação, o Exército passa por ser incompetente, mal comandado nos baixos escalões, mas bem dirigido no topo da hierarquia.



PORTUGAL E OS PÁRA-QUEDISTAS MORTOS NA BÓSNIA HOMENAGEADOS EM DOBOJ

Por • 31 Mai, 2017 • Categoria: 03. REPORTAGEM, EM DESTAQUE

Em rigoroso cumprimento do acordado no passado mês de Outubro de 2016 entre a Liga dos Combatentes de Portugal e a Câmara Municipal de Doboj, na Republica Srpska da Bósnia e Herzegovina, realizou-se no passado dia 23 de Maio de 2017, nesta cidade, uma homenagem a Portugal e aos nossos militares que faleceram neste país no decurso das operações da NATO (IFOR e SFOR) em que as Forças Armadas Portuguesas participaram.



HOMENAGEM AOS PARAQUEDISTAS FALECIDOS NA BÓSNIA

Por • 21 Jan, 2017 • Categoria: 13. MEMÓRIA DAS MISSÕES DE PAZ, EM DESTAQUE

No Regimento de Paraquedistas os boinas verdes que deram a vida pela Pátria no Ultramar são recordados pelo Monumento aos Mortos em Combate, e no Espaço Memória do Museu das Tropas Paraquedistas. Agora os paraquedistas falecidos na Bósnia e Herzegovina estão também presentes neste lugar nobre do Museu. Com a presença de familiares e amigos, esta homenagem abre um caminho que certamente será seguido para ali lembrar todos os paraquedistas que caíram nas Missões de Paz e Humanitárias.