logotipo operacional.pt

MEMÓRIA HISTÓRICA DA BRIGADA DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA (Volume 1)

Por • 3 Set , 2010 • Categoria: 08. JÁ LEMOS E... Print Print

Este livro, (re)publicado em 2010 na cidade do Rio de Janeiro, veio completar e preencher uma lacuna informativa nas bibliotecas de todos aqueles que se dedicam a estudar a história das TROPAS PÁRA-QUEDISTAS da América do Sul.

capa-livroimg_13231

Fruto de um grande esforço pessoal, o livro é da autoria de um oficial pára-quedista nascido em Portugal (1937), mas com nacionalidade brasileira.

Depois de ter emigrado com a família para a República Federativa do Brasil (1940), este militar é incorporado em 1956, tendo-se “brevetado” pára-quedista militar com o nº 2696.

Com uma vida dedicada à Brigada de Infantaria Pára-quedista do Exército Brasileiro, e testemunha privilegiada de muitos episódios que marcaram a história do pára-quedismo militar deste país de expressão comum, o Capitão DOMINGOS Gonçalves, em boa hora, decidiu compilar em formato de livro para as gerações vindouras, a incomensurável riqueza de suas memórias, proporcionando essa mesma oportunidade, também, a muitos outros militares pára-quedistas.

O resultado é impressionante e, teve como objectivo «…à margem de quaisquer outras motivações, de naturezas diversas…o registo de eventos havidos na trajectória da Brigada de Infantaria Pára-quedista e nas carreiras dos seus integrantes, ao longo dos tempos.»

Distintivo de qualificação pára-quedista do Exército Brasileiro. Em uso corrente. (Col. do Autor)

Distintivo de qualificação pára-quedista do Exército Brasileiro. Em uso corrente. (Col. António E.S. Carmo)

Estruturado em 21 partes (poderemos considerar capítulos), este volume 1 abarca os seguintes temas:

- O pára-quedismo militar e a sua história;

- Origens do pára-quedismo militar brasileiro;

- Primórdios e actividades pioneiras;

- Estrutura, Organizações Militares subordinadas e outros;

- Instrução, Cursos e Estágios;

- Apoio Aéreo e Pára-quedas;

- Instalações;

- Salto Livre;

- Acidentes e Incidentes;

- Actividades, Missões importantes e Demonstrações;

- O Esporte;

- Os pára-quedistas e suas realizações;

- Uniformes e insígnias;

- O papel do graduado na história da Brigada;

- O pára-quedismo nas Forças Armadas e no exterior;

- Literatura, música e artes;

- Diversos;

- Personalidades Militares e Civis;

- Reminiscências;

- Generalidades, recordes e curiosidades;

- Variedades;

- A Brigada e seus casos.

Nos primeiros capítulos (Partes) o leitor faz uma interessante viagem pelo esforço que desenvolveram os pára-quedistas “pioneiros”, bem como pela deslocação a Fort Benning, Geórgia/EUA, no longínquo ano de 1944, onde foram receber formação aeroterrestre para activarem, posteriormente, o então designado NÚCLEO DE FORMAÇÃO E TREINAMENTO DE PÁRA-QUEDISTAS (26DEZ1945).

Seguem-se relatos sobre a estrutura e formação das subunidades pára-quedistas, tendo sempre presente algumas especificidades desta grande unidade, como os capelães militares e a participação feminina.

O contributo para a formação de outra unidade pára-quedista – a BRIGADA DE OPERAÇÕES ESPECIAIS – é, igualmente, denunciado.

Ao chegar às páginas 222 / 226, o leitor português tem uma agradável surpresa: o autor dedica algum espaço ao “PÁRA-QUEDISMO MILITAR EM PORTUGAL”, depois de breve passagem e sentida visita a Tancos, em Maio de 2006.

Rio de Janeiro, 2010: apesar dos seus 100 anos de idade, o General Pára-quedista ROBERTO DE PESSÔA (trajando à civil), ainda participa nos principais eventos da Brigada de Infantaria Pára-quedista. (Foto cedida pela Bda Inf Pqdt)

Rio de Janeiro, 2010: apesar dos seus 100 anos de idade, o General Pára-quedista ROBERTO DE PESSÔA (trajando à civil), ainda participa nos principais eventos da Brigada de Infantaria Pára-quedista. (Foto cedida pela Bda Inf Pqdt/Brasil)

A título pessoal e como curiosidade histórica, recordo que o General ROBERTO DE PESSÔA, pára-quedista militar nº1 brasileiro foi o primeiro militar estrangeiro a quem o recém-criado Batalhão de Caçadores Pára-quedistas (BCP) da Força Aérea Portuguesa concedeu o primeiro distintivo de pára-quedista honorário português: o nº 303.

Honrando Portugal e os pára-quedistas portugueses com uma visita a Tancos, onde efectuou um salto do velho e romântico JUNKER JU-52, não quis deixar “terras lusas”, sem proferir, perante numerosa plateia composta por oficiais pára-quedistas e demais convidados, uma muito apreciada palestra subordinada ao tema: «TROPAS PÁRA-QUEDISTAS – Estudo e Proposta de Organização».

Este VOLUME 1 (aguardamos com ansiedade a publicação do Volume 2), escrito no idioma de Camões, não tem grandes luxos gráficos nem fotografias, porém, para os amantes deste género de bibliografia, o mais importante é o seu valioso e consistente conteúdo que acaba por fazer esquecer este senão, proporcionando informação pormenorizada sobre os homens que transportam nos corações o patriótico lema: «BRASIL, ACIMA DE TUDO!»

Alguns dados técnicos do livro:

Título: MEMÓRIA HISTÓRICA DA BRIGADA DE INFANTARIA PÁRA-QUEDISTA

Autor: Capitão Pára-quedista (REF) DOMINGOS FERREIRA GONÇALVES

Editora: Viaman Gráfica e Editora

Rio de Janeiro-RJ, 2010;  Volume 1

340 pps., BRASIL

A contra-capa deste livro apresenta duas excelentes gravuras ilustrativas do pára-quedismo militar brasileiro.

A contra-capa deste livro apresenta duas excelentes gravuras ilustrativas do pára-quedismo militar brasileiro.

Mais informação sobre o pára-quedismo militar brasileiro pode ser lida em:

 

"Tagged" como:

Comentários não disponíveis.