logotipo operacional.pt

Posts com Tag ‘RCA’

FORÇA PORTUGUESA NA REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

Por • 18 Mar, 2018 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, EM DESTAQUE

A 3.ª Força Nacional Destacada portuguesa na República Centro Africana, projectada para este país no início de Março de 2018, tem estado nestas duas primeiras semanas de missão a preparar-se para muito em breve iniciar a actividade operacional e ao mesmo tempo a concluir a sua instalação naquela que vai ser a sua base principal nos próximos 6 meses, campo M’Poko, Bangui, RCA. A FND na MINUSCA é em 80% constituída por militares paraquedistas da Brigada de Reação Rápida mas integra também elementos das armas e serviços do Exército e um Destacamento de Controlo Aéreo Táctico da Força Aérea Portuguesa.



PÁRAS PRONTOS PARA A REPÚBLICA CENTRO AFRICANA

Por • 27 Jan, 2018 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, EM DESTAQUE

«Não há duas missões iguais», frase tantas vezes ouvida a militares que em várias missões expedicionárias têm participado, é uma verdade comprovada agora na República Centro Africana. “As experiências quer da primeira quer da segunda força estão traduzidas nesta instrução que estamos aqui a desenvolver e se há coisas em comum nos dois contingentes que nos antecederam, há outras bem diferentes que nos foram relatadas. A situação está em permanente evolução e é preciso profissionalismo, motivação, grande capacidade de adaptação e…bom senso para enfrentar o imprevisto”.



MILITARES PORTUGUESES EM ÁFRICA AO SERVIÇO DA ONU E UE

Por • 28 Nov, 2017 • Categoria: 04 . PORTUGAL EM GUERRA - SÉCULO XXI, EM DESTAQUE

Portugal vai reforçar a sua participação na força da União Europeia na República Centro Africana, cabendo em Janeiro de 2018 ao Brigadeiro-general Hermínio Maio do Exército Português substituir o General de Divisão espanhol Fernando García Blázquez. Continuaremos neste país na força das Nações Unidas; nas missões da ONU e da UE no Mali com efectivos simbólicos, bem assim como na missão da UE na Somália. Um denominador comum para todos os envolvidos, grande instabilidade e insegurança, várias baixas anuais nas forças internacionais, entre as quais um militar português no Mali em Junho deste ano e um ferido na RCA no mês seguinte.