- - http://www.operacional.pt -

O OPERACIONAL EM 2014, UM BALANÇO

O ano de 2014 no Operacional foi tempo de “defensiva”, de manter a actividade nos mínimos para não perder o contacto com as audiências, o que foi conseguido mas com alguma erosão, baixando de modo menos significativo o número de visitantes. Ou seja, a grande maioria dos que nos liam continuaram a ler, mas vieram menos vezes ver o site. No Facebook, continuamos a subir consistentemente no número de “gostos”.

No ano de 2014 o Operacional manteve-se no ar mas as audiências médias baixaram pelo motivos apresentados neste balanço. Ficamo-nos pelas 1.019 visualizações diárias,  tendo-se iniciado em Outubro uma nova fase, que esperamos se venha a consolidar em 2015. [1]

No ano de 2014 o Operacional manteve-se no ar mas as audiências médias baixaram pelo motivos apresentados neste balanço. Ficamos pelas 1.019 visualizações diárias, tendo-se iniciado em Outubro uma nova fase, que esperamos se venha a consolidar em 2015. No Facebook, continuamos a subir paulatinamente, estamos nos 5.830 “gostos”.

Não foi um bom ano para o Operacional, embora tenhamos conseguido publicar matérias muito interessantes e manter a linha editorial. Como já havíamos referido em outras ocasiões, o tempo que tivemos disponível para trabalhar no site foi muitíssimo pouco, e isso reflectiu-se no número de artigos elaborados, com um mínimo de publicados desde a fundação em 2009. Este ano de 2014 fizemos 48 inserções, em 2013 fizemos 53, em 2012 tínhamos feito 82. Se 2013 já tinha sido ano afectado com os nossos afazeres profissionais (desde Junho), neste último ano de 2014 só em Outubro começamos a dedicar ao site o tempo que ele exige. A recuperação está a acontecer, lenta mas está. Esperamos neste ano de 2015 voltar “ao terreno” em força, e com isso, voltar a conquistar audiências perdidas.

As visualizações conseguidas pelo Operacional desde 2009, ultrapassam os 2.700.000. [2]

As visualizações conseguidas pelo Operacional desde 2009 ultrapassam os 2.700.000, mas a quebra este ano de 2014 foi acentuada em termos de visualizações.

Ainda assim, apesar desta menor atenção que a realidade da vida nos obrigou a dispensar ao site – relembramos que o Operacional é um projecto 100% privado e mantido sem qualquer interferência ou apoio institucional – sentimos que da parte de muitos leitores que connosco contactaram, o seu interesse se manteve e fomos mesmo incentivados a não abandonar o projecto. A nível institucional sempre fomos bem acolhidos, com especial atenção para a Brigada de Reacção Rápida é justo dizer (afinal de contas todos lá servimos durante décadas).

As dificuldades que sentimos não serão muito diferentes daquelas que todos os que gostam de publicar sobre temática militar sentem: falta arrepiante de dados oficiais disponíveis ao público. Nem sequer a estatística anual da Defesa Nacional está actualizada o que mais do que incrível parece propositado nestes tempos de informatização total destes dados. O último Anuário Estatístico da Defesa Nacional publicado reporta-se a 2010…

A nível internacional algumas alterações nos 10 primeiros países de onde provêm os nossos visitantes, com os 3 primeiros inalteráveis e Angola a subir ao 4.º lugar. [3]

A nível internacional algumas alterações nos 10 primeiros países de onde provêm os nossos visitantes, com os 3 primeiros inalteráveis e Angola a subir ao 4.º lugar.

Apraz-nos referir que neste ano de 2014 artigos originais do Operacional foram publicados no Brasil na revista “Segurança & Defesa” – e nós publicamos artigos desta revista com a qual mantemos relações de cooperação – e em Portugal no “Jornal do Exército”, órgão oficial do Exército Português, na revista “Combatente” órgão oficial da Liga dos Combatentes e o “Mais Alto” órgão oficial da Força Aérea Portuguesa distinguiu-nos com artigo alusivo ao site. Algumas vezes fomos solicitados a prestar declarações sobre temática militar para órgãos de comunicação social generalistas e a nossa opinião foi publicada várias vezes na secção “O convidado” do “Diário de Noticias”.

Durante este ano continuamos, quase isolados é verdade, a lutar para que o monumento erigido em Doboj na Bósnia em nome de Portugal e dos portugueses ali mortos em serviço [4], seja reparado (ou trazido para Portugal), visto estar num estado de pré-ruína sem qualquer atenção por parte das autoridades nacionais nestes últimos dois anos.

Continuamos a dispor de apoio do Grupo Milícia [5], o qual como do antecedente, nada exigiu em troca para além da inserção da respectiva publicidade, e ainda patrocinou deslocações para alguns artigos, uns já publicados outros a serem publicados em breve.

No facebook [6], ao qual nos juntamos em Março de 2013, continuamos a evoluir positivamente, não se tendo aqui feito sentir a menor inserção de notícias novas no site, com o número de “gostos” novos a crescer até aos actuais 5.830.

 Facebook gostos 2014 [7]

Facebook pessoas 2014 [8]

O canal do Operacional no Youtube [9] também não tem merecido a atenção que deveria, ainda assim alguns dos vídeos alcançaram uns milhares de visualizações, outros bem menos!

Youtube [10]

Os 48 artigos publicados em 2014 tiveram os seguintes autores

Miguel Silva Machado, 42 artigos

António Sucena do Carmo, 2 artigos

Vinícius D. Cavalcante e Mário Roberto Vaz Carneiro, 1 artigo

Carlos Gervásio Branco, 1 artigo

Pedro Santos Jorge, 1 artigo

Manuel Ribeiro Rodrigues, 1 artigo

O Operacional contou ainda com a colaboração do 1.º Batalhão de Infantaria Pára-quedista em algumas das reportagens, e na área da fotografia recebemos um novo colaborador, Carlos Correia, mantendo-se como principal colaborador nesta área Alfredo Serrano Rosa.

Neste ano de 2014 vimos com mágoa falecer mais um dos nossos colaboradores, o Inspector-Chefe da Polícia judiciária, João Pedro de Góis Fernandes Figueira [11].

Em 2015 o Operacional continuará a sua marcha e temos a intenção de conseguir colocar mais artigos on-line. Não só elaborados por nós próprios como mantendo a porta aberta a quem connosco quiser colaborar. Temos a esperança que o ano findo tenha sido de transição e tudo faremos para continuar a merecer a confiança dos actuais leitores e conquistar novos.

Todos os dias acontecem coisas que merecem ser contadas nesta área em que nos inserimos. A nossa ambição é conseguir transmitir-vos o nosso olhar sobre parte substancial dessa “matéria prima”!

 

Os 10 artigos mais vistos durante o ano de 2014 foram:

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA MILITAR – ANGOLA

CALIBRE 7,62mm VERSUS 5,56mm

NOVAS ARMAS E MIRAS ÓPTICAS APRESENTADAS EM PORTUGAL

A NOVA ORGÂNICA DA GNR

“ZEUS 14”, O 1.º BIPARA TREINA OPERAÇÕES EM MONTANHA

QUESTÕES SOBRE UMA “CAÇA AO HOMEM”

DISTINTIVOS ESPECIAIS DE PARAQUEDISTA

PÁRAS & PANDUR TREINAM PARA O KOSOVO

“GAE”, A ELITE DOS COMANDOS ANGOLANOS

GRUPO MILÍCIA, 20 ANOS DE ACTIVIDADE

 

Nos últimos 3 meses de 2014, foram os seguintes artigos os mais vistos:

NOVAS ARMAS E MIRAS ÓPTICAS APRESENTADAS EM PORTUGAL

CALIBRE 7,62mm VERSUS 5,56mm

PUBLICADAS AS LEIS ORGÂNICAS DA «REFORMA DEFESA 2020»

O PELOTÃO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS DA GUARDA NACIONAL REPUBLICANA

MAJOR-GENERAL CARLOS PERESTRELO COMANDA A BRIGADA DE REACÇÃO RÁPIDA

NO KOSOVO PELA SEGURANÇA DA EUROPA

“ARES 14″, EXÉRCITO E FORÇA AÉREA TREINAM EVACUAÇÃO DE CIDADÃOS PORTUGUESES

APRESENTADO O KC-390

NOVA VIDA PARA ANTIGA CORVETA PORTUGUESA

DEFESA NACIONAL & SEGURANÇA INTERNA NO ORÇAMENTO DE ESTADO – 2015

A "equipa" do Operacional recebida no comando da Brigada de Reacção Rápida em Dezembro de 2014.  Da esquerda: Alfredo Serrano Rosa, Armando Dinis Marques, Tenente-Coronel Costa Lopes, Major-General Carlos Perestrelo, Tenente-Coronel Hilário Peixeiro, Miguel Silva Machado, António Sucena do Carmo. [12]

A “equipa” do Operacional recebida no comando da Brigada de Reacção Rápida em Dezembro de 2014.
Da esquerda: Alfredo Serrano Rosa, Armando Dinis Marques, Tenente-Coronel Costa Lopes, Major-General Carlos Perestrelo, Tenente-Coronel Hilário Peixeiro, Miguel Silva Machado, António Sucena do Carmo.