- - http://www.operacional.pt -

MUSEUS MILITARES DE POZNAN – I

Poznan, cidade onde segundo muitos nasceu a Polónia, situada a meio-caminho entre Varsóvia e Berlim, esteve no centro de alguns dos conflitos e revoltas mais sangrentos do século XX na Europa. Essa memória está em grande medida salvaguardada em vários museus militares. Hoje trazemos aqui ao “Operacional” parte dessa história ilustrada com o “armamento ligeiro” que se encontra em três desses museus. No próximo artigo, todo e feito no museu do armamento, apresentaremos o material pesado.

O Museu do "Exército de Poznan" é deicado à campanha de 1939, na qual "foram fiéis ao juramento". [1]

O Museu do "Exército de Poznan" é dedicado à campanha de 1939, na qual "foram fiéis ao juramento".

O Museu está situado no centro de Poznan junto ao local mais visitadoda cidade [2]

O Museu "Wielkopolska" está situado no centro de Poznan junto ao local mais visitado da cidade

Poznan
Para quem passou parte da vida a ver à distância e mesmo a estudar o material militar do “Pacto de Varsóvia” não deixa de ser interessante, e ao mesmo tempo provocar uma certa nostalgia, contactar de perto com essa antiga realidade. Mas uma visita aos museus militares de Poznan é muito mais do que isso. É ver uma cidade de 565.000 habitantes (é a 5ª cidade da Polónia em população com sensivelmente a mesma de Lisboa), que se orgulha da sua história e faz os possíveis por manter a sua memória militar acessível ao público. Desde logo uma nota, aliás visível nas colecções museológicas que visitamos, o comunismo foi ali literalmente apagado! Só se fala nesse regime que ali durou 40 anos quando se trata das revoltas populares que o combateram. A única excepção visível a esta “reformulação” da história está exactamente junto a dois dos museus que aqui apresentamos, na região da “Cidadela”. Tratam-se dos memoriais e cemitérios aos soldados soviéticos que ali estão sepultados e se mantêm em estado normal de conservação. Outros cemitérios militares e de mártires da liberdade ali se encontram em parte da enorme área fortificada, o chamado “Winiary Fort”. Este conjunto sofreu várias vicissitudes ao longo da história desde que a construção se iniciou em 1828, até ser palco de violentos combates em 1945 e de ter sido mesmo em parte desmantelado no final da 2ª Guerra Mundial.

O Museu inicia o seu precurso histórico bem antes da criação do Estado Polaco, indo buscar as sua raizes bem longe. [3]

O Museu "Wielkopolska" inicia o seu percurso histórico bem antes da criação do Estado Polaco, indo buscar as sua raízes bem longe.

Os guerreiros polacos do século XVII estão bem documentados [4]

Os guerreiros polacos do século XVII estão bem documentados

Museu Militar da “Wielkopolska” (região da Polónia)
Situado na praça central da cidade, junto ao sumptuoso edifício da Câmara Municipal, a principal atracção turística da cidade, é um edifício discreto mas bem mantido e funcional, com dois andares visitáveis. As colecções apresentadas estão em muito bom estado de conservação e abrangem, pode-se dizer, toda história daquilo que hoje é a Polónia. Trata-se do segundo museu militar mais antigo do país (na seguir ao da capital) e teve o seu arranque no período entre as duas guerras mundiais com o empenho das guarnições militares da cidade e de populares. Não é assim de estranhar que este período, muito lembrado por estas paragens – nessa época nasceu o Estado Polaco – seja o que mais e melhores materiais tenha expostos. É no entanto de assinalar que o museu foi totalmente destruído na 2ª Guerra Mundial só tendo sido reaberto em 1956 e, a pouco e pouco, renovado as suas colecções. Actualmente o museu dispõe de 40.000 objectos, divididos e armas, uniformes e insígnias/símbolos e documentos militares, desde o século XI até às actuais missões de paz. As várias salas apresentam ainda número razoável de quadros de grande qualidade sobre temática militar.
A entrada no museu é paga (adultos cerca de 2,00€, militares não pagam) e quem quiser tirar fotografias paga uma taxa de cerca de 3,00€). Na recepção é possível adquirir algumas lembranças, livros postais ilustrados. Sem pagar mais por isso os postais podem ser carimbados com um símbolo do museu e data. Um guia dos museus nacionais de Poznan (incluindo este) em inglês está disponível graciosamente. Uma nota comum a todos os museus que visitamos é a ausência de legendas em inglês o que para quem não saiba polaco dificulta muito a compreensão daquilo que está exposto. Do mesmo modo, embora haja muitos livros e revistas sobre temas militares – nos museus mas sobretudo nas muitas livrarias da cidade – são raras as obras disponíveis em línguas diferentes do polaco.

O período entre as duas guerras mundias, quando a região de Poznan se revoltou contra a Prússia e se juntou à Polónia, é bem coberta pelo museu [5]

O período que se seguiu à 1ª Guerra Mundial, quando a região de Poznan se revoltou contra a Prússia e se juntou à Polónia, é bem coberta pelo museu

A Marinha está presente com uniformes e miniaturas de navios de supreficie e submarinos [6]

A Marinha está presente com uniformes, insígnias e miniaturas de navios de superfície e submarinos.

Esta imagem ilustra bem os últimos 70 anos de história no Museu. Destaque á participação na 2ª Guerra Mundial ao lado ds Aliados, Missões de Paz e a imagem de uma virgem padroeira das forças actualmente em missão. Em primeiro plano, armamento de fabrico russo, das poucas coisas que são expostas do período comunista. [7]

Esta imagem ilustra bem os últimos 70 anos de história no Museu. Destaque à participação na 2ª Guerra Mundial ao lado dos Aliados, Missões de Paz e a imagem de uma virgem padroeira das forças actualmente em missão. Em primeiro plano, armamento de fabrico russo, das poucas coisas que são expostas do período comunista.

Museu do “Exército de Poznan”
Trata-se de um pequeno mas muito cuidado museu instalado numa das casamatas do Forte “Winiary” dedicado em exclusivo à campanha de 1939, quando a Polónia foi ocupada em simultâneo pelos exércitos do III Reich a Oeste e da URSS a Leste. Muitas vezes confundido com o museu que apresentamos a seguir, talvez por esse outro ser de maior dimensão e estar a algumas centenas de metros no mesmo conjunto fortificado, este é dedicado em exclusivo ao “Exército de Poznan” no período referido. Este exército entendido como um escalão da organização operacional do Exército Polaco, estava composto por 4 divisões de infantaria e 2 brigadas de cavalaria, apoiado por aviação, artilharia pesada e outras unidades ainda, foi um dos sete que estavam a defender o país do ataque alemão.
O museu, onde fomos recebidos em inglês, é gratuito, e dispõe de fardas, armamento ligeiro – uma ou outra arma pesada – fotografias e cartas topográficas da campanha em apreço, provenientes de ambos os contentores. Muitos dos materiais são apresentados em conjuntos temáticos com fotos alusivas, protegidas por vidros e bem conservados. Na recepção é possível adquirir livros sobre temas militares e não só desta época.

A campanha de 1939 e o Exército Polaco dessa época estão aqui bem documentados [8]
A campanha de 1939 e o Exército Polaco dessa época estão aqui bem documentados com uniformes, fotos, armas e mapas explicando a organização e operações.
Os exércitos invasores, os seus uniformes, insignias e armamento equipamento também têm largo espaço no museu [9]
Os exércitos invasores, os seus uniformes, insígnias e armamento equipamento também têm largo espaço no museu.
 armamento está bem apresentado sendo fácil percepcionar a sua utilização real [10]
O armamento está bem apresentado sendo fácil percepcionar a sua utilização real.

Museu de Armamento
Este museu tem uma área coberta e outra ao ar livre. A primeira está instalada numa antiga fortificação que ao longo da sua vida teve várias utilizações desde laboratório para fins militares, a paiol, prisão e arrecadação de armamento. O museu ali instalado em 1965, foi mudando de designação, ligadas naturalmente aos momentos históricos em que se foi desenvolvendo: Museu da Libertação – entenda-se da expulsão dos alemães em 1945; Museu da Cidadela, em 1991; Museu do Armamento desde 1998.
Na parte interior em várias salas podemos ver armamento ligeiro, fotografias, modelos, cartazes, insígnias, bandeiras, uniformes, e toda a espécie de acessórios militares ligados aos períodos dos dois últimos conflitos mundiais, com natural destaque para os ligados aos combates travados na Cidadela de Poznan. Não sendo muito habitual em museus militares, merece aqui referência o destaque que ali é dado às centenas de civis da cidade que em 1945 lutaram e morreram ao lado do exército soviético para expulsar os alemães.
A guarnição alemã deu uma encarniçada resistência ao Exército Vermelho que empenhou algumas das suas unidades de “Guardas” – consideradas de elite – e de carros de combate. Os alemães defenderam este importante nós rodoviário em direcção a Berlim e acabaram por ceder, mas em combates, rua a rua, casa a casa, até ao reduto final exactamente a Cidadela onde está hoje o museu. E bem perto um conjunto de cemitérios militares de várias nacionalidades aliadas, sendo sem dúvida o mais grandioso o dedicado aos soldados soviéticos. É também nessa área que se encontram cemitérios das vítimas da Gestapo mas também do regime comunista que se instalou na Polónia depois de 1945.

O Museu do Armamento na área da Cidadela de Poznan [11]
O Museu do Armamento na área da Cidadela de Poznan.
Os primeiros tempos da 2ª Guerra Mundial também aqui têm espaço. [12]
Os primeiros tempos da 2ª Guerra Mundial também aqui têm espaço. Esta sala dispõe de uma interessante colecção de miniaturas, inclusive comboios blindados.
O Exército Polaco combateu na Europa, em várias frentes e em África, ao lado dos Aliados. Foram polacos que conquistarm o célebre Monte Cassino aos alemães na campanha de Itália. [13]
O Exército Polaco combateu na Europa, em várias frentes e em África, ao lado dos Aliados. Foram polacos que conquistaram o célebre Monte Cassino aos alemães na campanha de Itália.
s célebres "panzerfaust" e "panzerschreck" que defenderam a "Cidadela" contra os tanques russos em 1945 [14]
Os célebres “panzerfaust” e “panzerschreck” que defenderam a “Cidadela” contra os tanques russos em 1945, ao lado de espingardas e metralhadoras do Exército Vermelho.
Este museu tem grande diversidade de armamento de fabrico russo. As "espingardas anti-carro" foram ali muito utilizadas pelos voluntários civis. [15]
Este museu tem grande diversidade de armamento de fabrico russo. As “espingardas anti-carro” foram ali muito utilizadas pelos voluntários civis.
Uma vitrina com condecorações e insignias do Exército Soviético, um dos únicos (senão o único!) local onde pode ver a "foice e o martelo" m Poznan [16]
Uma vitrina com condecorações e insígnias do Exército Soviético, um dos únicos (senão o único!) local onde pode ver a “foice e o martelo” em Poznan
Vários exemplares da famosa "Sturmgewehr 44" estão expostas nos museus militares de Poznan [17]
Vários exemplares da famosa “Sturmgewehr 44” estão expostas nos museus militares de Poznan.
Embora seja motivo de guma controvérsia  número de civis que se juntaram aos russos para combater os alemães, eles estão em grande destaque em vários locais do museu [18]
Embora seja hoje motivo de alguma controvérsia o número de civis que realmente se juntaram aos russos para combater os alemães, eles estão em grande destaque em vários locais do museu.
As vítimas da Gestapo durante a ocupação alemã... [19]
As vítimas da Gestapo durante a ocupação alemã…
...como as da repressão aos levantamentos populares de Junho de 1956, estão sepultados na "Cidadela". [20]
…como as da repressão aos levantamentos populares de Junho de 1956, estão sepultados na “Cidadela”. O jovem Leszek “teve morte trágica” aos 25 anos “pela liberdade, lei e pão”.
Muitos aviadores Alados morreram voando sobre a Polónia e ali estão sepultados no cemitério da "Commonwealth" [21]
Muitos aviadores Aliados morreram voando sobre a Polónia e ali estão sepultados no cemitério da “Commonwealth”.
Vários "Heróis da União Soviética" oficiais como soldados e reposam no cemitério russo. Alguns são ainda hoje lembrados e homenageados. Em primeiro plao a campa do soldado "da Guarda" Kirday, morto em 23/2/1945, na qual alguém, horas anes desta foto havia colocado alimento e bebida de acordo com a tradição ortodoxa. [22]
Vários “Heróis da União Soviética” oficiais como soldados, repousam no cemitério russo. Alguns são ainda hoje lembrados. Em primeiro plano a campa do soldado “da Guarda” Kirday, morto em 23/2/1945, na qual alguém, poucas horas antes desta foto, colocou alimento e bebida de acordo com a tradição ortodoxa.
A história é o que é, e apesar do "apagamento" do comunismo na Polónia, a memória do esforço militar da URSS para expulsar os alemães continua a ser respeitado, pelo menos em alguns moumentos como este que domina os cemitérios militares da "Cidadela". [23]
A história é o que é e apesar do “apagamento” do comunismo na Polónia, a memória do esforço militar da URSS para expulsar os alemães continua a ser respeitado, pelo menos em alguns monumentos como este que domina os cemitérios militares da “Cidadela”.

Veja aqui a segunda parte deste artigo : MUSEUS MILITARES DE POZNAN: ARMAMENTO PESADO E AERONAVES [24]