- - http://www.operacional.pt -

HOMENAGEM AOS PARAQUEDISTAS FALECIDOS NA BÓSNIA

No Regimento de Paraquedistas os boinas verdes que deram a vida pela Pátria no Ultramar são recordados pelo Monumento aos Mortos em Combate e no Espaço Memória do Museu das Tropas Paraquedistas. Agora os paraquedistas falecidos na Bósnia e Herzegovina estão também presentes neste lugar nobre do Museu. Com a presença de familiares e amigos, esta homenagem abre um caminho que certamente será seguido para ali lembrar todos os paraquedistas que caíram nas Missões de Paz e Humanitárias.

[1]

O Regimento de Paraquedistas homenageou em Tancos os militares falecidos na Bósnia e Herzegovina, com uma cerimónia de evocação religiosa e descerramento da placa com o nome dos cinco boinas verdes que em 1996 e 2004 ali morreram no âmbito da missão das Forças Armadas Portuguesas neste país europeu. Esta placa de mármore com os cinco nomes gravados tem grande significado, estava afixada no Monumento aos Mortos na Bósnia e Herzegovina construído no quartel português de Doboj, no Norte da Bósnia. A lápide era aliás o elemento principal do monumento – aquilo que ele homenageava – construído em 2003 e desmantelado em 2007 (*).

[2]

[3]

[4]

A cerimónia de cariz essencialmente religioso decorreu no passado dia 19 de dezembro, em ambiente de compreensível recolhimento, estiveram presentes familiares e amigos dos falecidos, antigos militares que integraram as missões em causa, e os actuais comandantes e adjuntos do comando das unidades paraquedistas da Brigada de Reacção Rápida.

Presidiu o Bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança, D. Manuel Linda, que assim se associou a este momento grande significado para os paraquedistas, e foi na réplica do monumento erigido na cidade de Doboj, a qual está exactamente no Espaço Memória, que foi agora colocada a referida placa.

[5]

[6]

[7]

Antes de descerrada a lápide, num momento de grande simbolismo e fortes emoções, os cinco boinas verdes foram recordados um a um: 

Primeiro-Cabo Paraquedista Alcino José Lázaro Mouta

Nasceu em 23 de Outubro de 1971, ingressou nas Tropas Paraquedistas a 08 de Fevereiro de 1992, marchou para o Teatro de Operações da Bósnia e Herzegovina em 05 de Janeiro de 1996 com o Destacamento de Apoio de Serviços, faleceu ao serviço da Pátria a 24 de janeiro 1996, Zetra / Sarajevo.

Primeiro-Cabo Paraquedista Rui Manuel Reis Tavares

Nasceu em 06 de Junho de 1971, ingressou nas Tropas Paraquedistas a 08 de Fevereiro de 1992, marchou para o Teatro de Operações da Bósnia e Herzegovina em em 05 de Janeiro de 1996 com o Destacamento de Apoio de Serviços, faleceu ao serviço da Pátria a 24 de janeiro 1996, Zetra / Sarajevo.

Soldado Paraquedista Francisco José da Ressureição Barradas

Nasceu em 23 de setembro de 1974, ingressou nas Tropas Paraquedistas em 19 de Fevereiro de 1994, marchou para o Teatro de Operações da Bósnia e Herzegovina em 05 de Maio de 1996 com o 3ºBIAT, faleceu ao serviço da Pátria a 06 de Outubro de 1996, Rudina / Visegrad.

Soldado Paraquedista Ricardo Manuel Borges Souto

Nasceu em 25 de Março de 1975, ingressou nas Tropas Paraquedistas a 21 de fevereiro de 1996, marchou para o Teatro de Operações da Bósnia e Herzegovina em 05 de Agosto de 1996 com o 3ºBIAT, faleceu ao serviço da Pátria a 06 de Outubro de 1996, Rudina / Visegrad.

Soldado Paraquedista Ricardo Manuel Pombo Valério

Nasceu em 07 de Outubro de 1983, ingressou nas Tropas Paraquedistas em 12 de Setembro de 2002, marchou para o Teatro de Operações da Bósnia e Herzegovina em 22 de Janeiro de 2004 com o 3ºBIPara, faleceu ao serviço da Pátria a 16 de Julho de 2004, Sevarlije / Doboj. 

Seguiu-se um momento de oração dirigido por D. Manuel Linda após o que o Major-General Carlos Alberto Perestrelo, comandante da Brigada de Reação Rápida, proferiu uma breve alocução, para garantir aos familiares dos homenageados que como eles, também os paraquedistas não os esquecem, nunca esqueceram nem esquecerão e, agora, os seus nomes passam a estar ali, em lugar nobre, junto aos seus irmãos de armas que tombaram no antigo Ultramar.

[8]

[9]

O comandante do Regimento de Paraquedistas Coronel Dionísio Hilário Peixeiro e o MGen Carlos Perestrelo convidaram de seguida D. Manuel Linda a descerrar a lápide, encerrando-se esta sentida cerimónia com os presentes a cantar o Hino dos Boinas Verdes.

(*) Leia os antecedentes deste processo e o momento presente em MONUMENTO EM DOBOJ: NOVO CICLO NAS RELAÇÕES PORTUGAL – BÓSNIA E HERZEGOVINA [10]

[11]

Desde 1992, ano em que se verificou a primeira vítima mortal fruto da participação numa operação de carácter humanitário em Angola e S. Tomé e Príncipe, as Forças Armadas Portuguesas já registaram 16 vítimas mortais e a Guarda Nacional Republicana 3. Destes, 12, tinham o curso de pára-quedismo militar.

– 30Nov1992 – Soldado Pára-quedista Fernando Sérgio da Silva Teixeira/BP21/BOTP2/CTP (S. Tomé e Príncipe);

– 24Jan1996 – Primeiro-Cabo Pára-quedista Alcino José Lázaro Mouta – DAS/BAI/IFOR (Bósnia e Herzegovina);

– 24Jan1996 – Primeiro-Cabo Pára-quedista Rui Manuel Reis Tavares – DAS/BAI/IFOR (Bósnia e Herzegovina);

– 06Out1996 – Primeiro-Cabo Pára-quedista José da Ressurreição Barradas – 3º BIAT/BAI/IFOR (Bósnia e Herzegovina);

– 06Out1996 – Soldado Pára-quedista Ricardo Manuel Borges Souto – 3º BIAT/BAI/IFOR (Bósnia e Herzegovina);

– 26Jun1998 – Capitão da Guarda Nacional Republicana, Álvaro José Garcia Costa – MONUA (Abidjan – Costa do Marfim);

– 03Out2000 – Primeiro-Sargento Pára-quedista José Vitorino dos Santos Moreira Fernandes – 2BIPara/BAI/UNTAET (Timor-Leste);

– 03Out2000 – Soldado Pára-quedista José Miguel Gonçalves Lopes – 2BIPara/BAI/UNTAET (Timor-Leste);

– 12Out2002 – Soldado Pára-quedista Diogo Manuel Dantas Ribeirinho – 2ºBIPara/BAI/UNMISET (Indonésia);

– 16Jul2004 – Soldado Pára-quedista Ricardo Manuel Pombo Valério – 3ºBIPara/BAI/SFOR (Bósnia e Herzegovina);

– 24Nov2007 – Soldado-Pára-quedista Sérgio Miguel Vidal Oliveira Pedrosa – 22ª CParas/2BIPara/RI 10/BRR/ISAF (Afeganistão);

– 13MAR2012 – Alferes Infantaria Daniel João Varela Simões – Subagrupamento Bravo/ GNR (12º Contingente) UNMIT (Timor-Leste)

Legenda:
22ª CParas: 22ª Companhia de Pára-quedistas
2º BIPARA: 2º Batalhão de Infantaria Pára-quedista
3º BIAT: 3º Batalhão de Infantaria Aerotransportado
BAI: Brigada Aerotransportada Independente
BOTP2: Base Operacional de Tropas Pára-quedistas n.º 2
BP21: Batalhão de Pára-quedistas n.º 21
BRR: Brigada de Reacção Rápida
CTP: Corpo de Tropas Pára-quedistas
DAS: Destacamento de Apoio de Serviços
GNR: Guarda Nacional Republicana
IFOR: Implementation Force
ISAF: International Security Assistance Force
RI 10: Regimento de Infantaria n.º 10
SFOR: Stabilisation Force
UNMISET: United Nations Mission of Support in East Timor
UNTAET: United Nations Transitional Administration in East Timor
UNMIT: United Nations Integrated Mission in Timor-Leste

Leia aqui a relação completa dos MILITARES PORTUGUESES MORTOS EM MISSÕES DE PAZ [12]