- - http://www.operacional.pt -

HELITRANSPORTE NO “MOLIÇO 151” EM VÍDEO

Durante a reportagem do Operacional em Seia para acompanhar algumas acções do exercício “Moliço 151”, foi possível captar imagens para elaborar este apontamento vídeo, o qual acompanhamos de dois pequenos textos relativos à unidade dinamarquesa empenhada e ao 2.ºBIPara.

10 Moliço 151 DSC_4420 copy [1]

AS550 C2 Fennec dinamarquês e pára-quedista português no exercício “Moliço 151” na região de Seia / Serra da Estrela.

Eskadrille 724

A Real Força Aérea da Dinamarca – «Flyvevåbent», concentra todos os helicópteros militares da Dinamarca, os quais estão atribuídos à Helicopter Wing em Karup, com 650 militares: 8 Fennec, 8 EH101 SAR, 6 EH101 Tácticos, 8 Lynx embarcados em navios da Marinha de Guerra.

Durante o exercício “Real Thaw 2015”, estiveram em Portugal 4 AS550 C2 Fennec, classificados pela Flyvevåbent, como “helicópteros de observação”, aeronaves que permaneceram mais uns dias no nosso país e participaram neste exerciício do 2.ºBIPara/Brigada de Reacção Rápida.

Os Fennec dinamarqueses estão atribuídos à Esquadrilha 724, e cumprem as seguintes missões:

– Observação (para fins militares e de apoio à polícia quando necessário – eventos especiais);

– Reconhecimento;

– Segurança (através de pessoal armado a bordo);

– Transporte de pessoal e/ou carga suspensa (até 750kg);

– Controlo de tráfego rodoviário (com pessoal da polícia de trânsito);

– Pesquisa (em apoio da polícia para detectar pessoas em fuga ou veículos roubados);

– Anti-terrorismo (com unidades especiais das forças armadas ou das polícias).

Estes helicópteros foram adquiridos em 1987 para o Exército onde se mantiveram – armados com misseis TOW – até 2003, quando a Dinamarca concentrou estes meios aéreos na Força Aérea. Neste ramo os Fennec foram desarmados e assumiram as funções actuais.

Os AS550 C2 Fennec dinamarqueses já foram empenhados em missões exteriores no Kosovo, Iraque e Afeganistão.

 

2.º Batalhão de Infantaria Pára-quedista

A designação actual do batalhão foi oficialmente criada em 1999 quando, de acordo com despacho do Chefe do Estado-Maior do Exército, o 2ºBatalhão de Infantaria Aerotransportado (2BIAT) passa a denominar-se 2º Batalhão de Infantaria Pára-quedista (2BIPara). Por sua vez o 2BIAT havia nascido no inicio de 1994 com a criação da Brigada Aerotransportada Independente, fruto da transferência das Tropas Pára-quedistas da Força Aérea para o Exército, as quais na sua Brigada de Pára-quedistas Ligeira do Corpo de Tropas Pára-quedista, tinham o Batalhão de Pára-quedista n.º 21. Todos estes batalhões (2BIPara; 2BIAT; BP21) estiveram sempre aquartelados na Península de S. Jacinto, nas unidades que ali se forem seguindo desde 1976, sendo hoje designada por Regimento de Infantaria n.º 10 da Brigada de Reacção Rápida.

O 2BIAT, depois 2BIPara, tem uma rica história de participação em missões de paz e humanitárias desde 1996, tendo estado empenhado nos teatros de operações da Bósnia, Kosovo, Timor-Leste e Afeganistão.

Esquadra 552 “Zangões”

Sobejamente conhecidas em Portugal, com uma brilhante história operacional em África e Timor e inúmeras missões de interesse público desempenhadas em Portugal, as sucessivas esquadras que operaram o AL III deram origem à actual 552. No espaço de tempo que estivemos em Seia não tivemos oportunidade de “apanhar” os AL III em acção com os pára-quedistas e apenas os filmamos em Seia. Novas oportunidades surgirão!

Veja aqui o vídeo: HELITRANSPORTE NO “MOLIÇO 151” EM VÍDEO [2]

Leia aqui mais sobre o AL III: O Alouette III dos Rotores de Portugal [3]

Leia mais sobre o exercício: EXERCÍCIO “MOLIÇO 151”: PÁRA-QUEDISTAS & HELICÓPTEROS EM SEIA [4]