- - http://www.operacional.pt -

CUIDADOS DE EMERGÊNCIA MÉDICA EM AMBIENTE TÁCTICO

Quando tudo o resto falha e o menos desejável acontece – um militar ou polícia é ferido – é preciso continuar a responder, a missão não pode parar!

A acção dos camaradas nos primeiros minutos após o ferimento, é em muitos casos a diferença entre a vida e a morte. [1]

A acção dos camaradas nos primeiros minutos após o ferimento, significa em muitos casos a diferença entre a vida e a morte.

É aqui que os Cuidados de Emergência Médica em Ambiente Táctico, conhecidos pela sigla CEMAT, entram em acção. Em território nacional em missões de carácter policial como nas missões exteriores em combate, é aqui, perante o camarada ferido, que o treino recebido e o material adequado fazem a diferença entre a vida e a morte.

O CEMAT é hoje um curso desenhado para militares, agentes de autoridade e profissionais de saúde que operem em ambiente táctico-policial e de guerra.
Este curso foi desenvolvido para que estes elementos, no decorrer das suas tarefas e na execução das suas operações, sobretudo quando estão isolados, possam garantir uma resposta eficiente de procedimentos de emergência, contribuindo assim para reduzir o número de mortes evitáveis em combate.

8-p1070640-copy [2]

Esta modalidade de "acções CEMAT" que aqui se abordam, foram pela primeira vez postas em prática, de modo informal, numa missão anterior da GNR em Timor-Leste.

O CEMAT baseia-se no que de mais recente existe neste campo de actuação, seguindo as guidelines (linhas de orientação) internacionais de abordagem de feridos em combate. É orientado por profissionais altamente treinados da área da emergência pré-hospitalar e da área táctico-militar e policial.

O Departamento da Marinha dos EUA criou para as equipas dos Navy SEALs orientações de abordagem de feridos em combate no ano de 1996 (Trauma Combat Casualty Care) e, desde então, tem sido melhorado e adaptado às diferentes realidades militares e policiais das forças americanas.
Neste momento, a maioria das forças militares dos EUA que operam no estrangeiro, nomeadamente no Iraque e Afeganistão, possuem este tipo de treino. Esta formação permitiu reduzir a taxa de mortalidade das forças americanas em números verdadeiramente espantosos. No Vietnam a taxa de mortalidade de um militar ferido em combate era de 15,8% no Afeganistão essa taxa baixou para 9,4%!
Uma redução espantosa graças a utilização de técnicas, equipamentos e específica no âmbito da emergência médica!

A firma "Milícia" ministrou instrução aos militares da GNR que vão partir para o Afeganistão em Abril 2012. [3]

A firma "Milícia" ministrou recentemente instrução aos militares da GNR que vão partir para o Afeganistão em Abril 2012.

O kit individual  é composto por material que se destina exclusivamente a procedimentos de emergência tipo life saving, incluindo torniquetes táticos para controlo de grandes hemorragias, compressas hemostáticas, tubos nasais, entre outros. [4]

O kit individual é composto por material que se destina exclusivamente a procedimentos de emergência tipo life saving, incluindo torniquetes tácticos para controlo de grandes hemorragias, compressas hemostáticas, tubos nasais, entre outros.

4-cemat-ferido-1-copy [5]

5-sam_3367-copy [6]

6-dsc_0071-copy [7]

7-dsc_0054-copy [8]

Esta formação tem vindo a ser ministrada nos últimos dois anos aos militares da Guarda Nacional Republicana – Grupo de Intervenção e Operações Especiais. Foi também ministrada ao contingente da GNR que irá operar já a partir do inicio de Abril no Afeganistão e o mesmo acontecerá aos militares que partirem no próximo contingente para Timor-Leste.

Pretende-se que aliada a bons equipamentos, seja ministrada a melhor formação!

Os militares e polícias que são empenhados regularmente em missões nas quais a probabilidade de serem feridos é uma realidade sempre presente, têm aqui – nestes cursos – uma ferramenta que lhes permite abordar esses intensos períodos da sua vida com uma confiança acrescida.

Militares da GNR que vão integrar no Afeganistão o Contingente Nacional. Em cenários de guerra, como é o caso, [9]

Militares da GNR que vão integrar no Afeganistão o Contingente Nacional como Formadores da Polícia local. A sua acção vai decorrer numa zona de guerra. Boa viagem, boa missão e que regressem todos bem a Portugal, são os desejos do "Operacional".