- - http://www.operacional.pt -

COMBATENTES TV

Está no ar um interessante projecto de comunicação institucional que funciona no suporte internet e assim chega facilmente a quem o deseje, independentemente do local onde se encontra, em Portugal ou no estrangeiro.

A Liga dos Combatentes tem no ar a "Combatente TV" um projecto experimental de web TV. [1]

A Liga dos Combatentes tem no ar a "Combatente TV" um projecto experimental de web TV.

O canal COMBATENTES.TV [2] nascido para divulgar as actividades da Liga dos Combatentes, entidade que o criou e mantém, pode ser – e já o está a fazer – um excelente veículo de recolha de testemunhos sobre a nossa história militar recente.
O COMBATENTES.TV está em fase de emissões experimentais mas já meteu on-line pelo menos 3 programas, cada um com cerca de 30/40 minutos. O formato destes programas assenta num conjunto de notícias sobre as actividades quer da Direcção Central quer dos Núcleos da Liga dos Combatentes e uma entrevista alargada, com uma ou várias pessoas, sobre um tema ligado ao trabalho da Liga ou memórias de guerra.

Costa Vaz recorda na primeira pessoa os últimos dias da presença militar portuguesa em Goa. [3]

Costa Vaz recorda na primeira pessoa os últimos dias da presença militar portuguesa em Goa.

O programa que acabamos de visionar tem uma lúcida e franca entrevista com o Sr. Costa Vaz, militar português que viveu os acontecimentos de Goa em 1961 e ali foi feito prisioneiro. Transmite a sua experiência pessoal com clareza e equilíbrio, sem fugir aos momentos difíceis mas também sem cair em acusações fáceis. Sem dúvida um bom documento de história oral.
Outros temas de fundo que são abordados em edições anteriores reportam-se ao Programa Conservação das Memórias que a Liga tem em marcha nos antigos teatros de operações onde militares portugueses foram sepultados e ao Apoio Médico Social que a Liga dos Combatentes presta aos antigos combatentes.

Hélder Freire, que também é director da revista Combatente, abraçou este projecto todo ele feito com a “prata da casa”. [4]

Hélder Freire, que também é director da revista Combatente, abraçou este projecto todo ele feito com a “prata da casa”.

Não devendo haver ilusões sobre os conteúdos, estamos perante um canal de web TV marcadamente institucional, nota-se que tem havido evolução e que o formato está a caminhar no sentido de o tornar mais fácil de ver. Os assuntos estão a ser tratados de forma mais apelativa. Não se espere do COMBATENTES.TV [2] aquilo que não é, mas parece-nos um projecto que além das finalidades internas – a ligação entre a Direcção Central e os Núcleos – irá dar mais um importante contributo para a manutenção da nossa história militar recente, aquela que ainda pode ser feita com os portugueses que a viveram.

Bem hajam pela iniciativa!