- - http://www.operacional.pt -

“AIR FORCES MONTHLY”, FEVEREIRO 2017

Está disponível em Portugal a edição de Fevereiro de 2017 da conceituada revista britânica “Air Forces Monthly”, a qual insere um interessante artigo sobre a Força Aérea Portuguesa, da autoria de José Matos, um português bem conhecido no meio aeronáutico.

São 8 páginas na secção “Force Report” que a “Air Forces [1]” dedica a Portugal sob o título “Against The Odds, NATO Southern Guard”, nas quais o autor elabora com atenção sobre a componente operacional da Força Aérea Portuguesa. Trata-se de matéria factual, fundamentada, na qual José Matos aqui e ali faz um “salto no tempo” para explicar os antecedentes de determinadas situações do presente. O autor é um dos colaboradores do blog “Pássaro de Ferro [2]” que acompanha com regularidade a realidade aeronáutica militar nacional de muito perto, e faz neste artigo uma “ronda” pelas esquadras e aeronaves que estão em serviço, dando-nos uma perspectiva realista da presente situação da FAP, não omitindo as dificuldades que se vêm sentindo quer em termos de horas de voos – desmentindo assim com números algumas visões idílicas sobre a actividade aérea militar em Portugal – quer com o número das tripulações e mesmo a quantidade de aeronaves efectivamente disponíveis.

Faz também uma boa abordagem às missões cumpridas e ao esforço do ramo para levar a cabo as tarefas que lhe competem, quer nas missões de interesse público, no Continente e Ilhas, quer nas missões de defesa aérea em Portugal – por exemplo a intercepção dos bombardeiros russos – quer ainda nas missões expedicionárias no âmbito das organizações internacionais a que pertencemos.

[3]

[4]

Naturalmente sintético, o artigo divide-se nos seguintes capítulos: “Peace Atlantis F-16s”, “Vipers to Romania”, “Lack of funds”, “Helicopters: old and new”, “Pilot training”, “Bisons, elephants and lynx”, e “The future”.

É uma leitura que só podemos recomendar!

A revista em si, sobejamente conhecida e divulgada em Portugal, está como sempre recheada de artigos que interessam aos fãs da temática. Como curiosidade, num “Force Report” sobre a Força Aérea do Uruguai, lá  está um dos “nossos” C-212-300, ainda com a camuflagem “made in Portugal”.

Aqui fica o índice de uma revista que custa em portugal, 9,30€:

[5]

[6]